Linha
do tempo

1998 / Pioneirismo na sustentabilidade
Oskar Metsavaht lança os fundamentos do desenvolvimento sustentável para a Osklen e assim implementa estratégias que dão início aos projetos socioambientais na moda.

1999 / Lançamento das primeiras peças sustentáveis
Em 1999 foi lançada a primeira t-shirt feita com cânhamo – uma fibra resistente que não utiliza produtos químicos em sua produção. Também foi nesse ano que a Osklen iniciou o desenvolvimento do algodão orgânico em parceria com a Embrapa (Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária) e a ONG Esplar, no Ceará, em um momento que não se falava de sustentabilidade como se fala hoje, quando ainda não havia histórico de práticas sustentáveis no Brasil.

2000 / e-brigade
Esse ano foi o lançamento das primeiras t-shirts de algodão orgânico com assinatura e-brigade.
Idealizado por Oskar Metsavaht, o e-brigade é um movimento que surgiu sob o slogan “Save your Lifestyle. Act Now”. Seu objetivo era reunir ecologistas, professores, sociólogos e organizações de preservação ambiental, organizações de ação comunitária, empresas e instituições de pesquisa e ensino para combater a desinformação quanto ao desenvolvimento sustentável ambiental e social. Divulgar os ensinamentos da Carta da Terra, da Agenda 21, da Convenção da Biodiversidade e do Protocolo de Kyoto.

2006 / e-fabrics
Desde 1999 a Osklen avançou na pesquisa e desenvolvimento de materiais e processos sustentáveis e, assim, formalizou o projeto e-fabrics, em parceria com o Instituto-e. Essas peças chamadas e-fabrics utilizam materiais de origens recicladas, orgânicas, naturais e artesanais, desenvolvidos por comunidades, cooperativas, ou por grupos industriais.
Dentre eles, destacam-se os couros de salmão e pirarucu, usados na confecção de acessórios, tênis, bolsas e carteiras; malha PET, composta por algodão e fibra de poliéster proveniente da reciclagem de embalagens PET; algodão orgânico, cultivado sem uso de substâncias tóxicas ao meio ambiente; tricot reciclado, feito de fios de algodão desfibrado, proveniente do reuso de sobras da indústria têxtil; e seda orgânica, fabricada a partir de casulos rejeitados pela indústria tradicional por estarem fora do padrão. Estes e-fabrics ainda são tingidos naturalmente, sem poluir o meio ambiente.

2006 / Instituto-e
Fundado e presidido por Metsavaht e dirigido pela socióloga Nina Almeida Braga, o Instituto-e idealiza e implementa projetos socioambientais inspirados no conceito dos 6 “e”s – earth, environment, energy, education, empowerment e economics – com o objetivo de ajudar a promover o Brasil como o país do desenvolvimento humano sustentável.

2007 / Amazon Guardians
Na coleção de Inverno 2007, Oskar Metsavaht convoca uma brigada urbana contra a degradação do meio ambiente, onde o homem e a mulher assumem o papel de guardiões da Amazônia.

2008 / Future Maker
A Osklen foi apontada, junto com a TESLA, como “Future Maker” pela World Wide Fund for Nature do Reino Unido (WWF-UK), umas das maiores e mais influentes ONGs do mundo.

2009 / Recuperação da vegetação de restinga
Osklen e o Instituto-e começaram o projeto de recuperação, com o apoio da Prefeitura do Rio de Janeiro, dos canteiros de vegetação de restinga fixadora de dunas nas praias de Ipanema e Leblon.
Além de trazer a fauna típica deste ecossistema de restinga de volta à praia, a recuperação da vegetação contribui para a manutenção de uma temperatura mais amena ao redor dos canteiros e para a contenção da areia em caso de ventania ou ressaca. Em 2013, o projeto se estendeu à Prainha, na Zona Oeste do Rio, e se mantém ativo até hoje.

2009 / Projeto TRACES
Em 2009, o Instituto-e firmou parceria com o Ministério do Meio Ambiente, Terra e Mar da Itália para analisar as pegadas de carbono e social de seis produtos e-fabrics da Osklen, algo inédito no mundo. As equipes multidisciplinares da Osklen, Instituto-e e IMELS percorreram diversas regiões do Brasil, da Amazônia ao Sul do país, analisando de perto cada etapa da cadeia produtiva destes e-fabrics. Mensurou-se a quantidade de CO2 liberada desde a coleta dos materiais utilizados na fabricação das peças até a chegada dos produtos às lojas Osklen. Também foi avaliado o número de trabalhadores beneficiados pelos programas de responsabilidade social dos produtores. As peças submetidas a esta análise ganharam etiquetas que informavam ao cliente suas pegadas de carbono e social. O produto que apresentou a maior pegada de carbono teve suas emissões mitigadas por meio de um projeto de substituição de combustível por energia solar.
Depois dos resultados positivos do projeto, a Osklen teve outros quatro produtos avaliados sob o ponto de vista das pegadas hídrica e social. O projeto foi chamado de WATERTRACES.

2011 / UNESCO
Em maio de 2011 Oskar Metsavaht recebeu da UNESCO o título Embaixador para a Cultura da Paz e da Sustentabilidade. “A UNESCO conheceu Oskar Metsavaht e seu trabalho voltado para a conservação do meio ambiente através do e-brigade, um exército do bem destinado a preservar nosso planeta e as condições de vida. Tudo na Osklen combina com esse objetivo. Ao conhecê-lo mais de perto, a UNESCO imediatamente o convidou para liderar empreendedores que tenham a mesma responsabilidade social.” Marlova Jovchelovitch Noleto UNESCO | Diretora Adjunta de Programas no Brasil

2012 / Rio+20
O Instituto-e promove o Prêmio-e, dentro da programação oficial da Rio+20, homenageando as principais figuras mundiais ligadas ao meio ambiente, entre elas Sylvia Earle (Deep Search Foundation), Sebastião Salgado, Russell Mittermeier (Conservation International), Benki Piyãko (Ashaninka) e o lendário Maurice Strong (Secretário Geral da Stockholm 72 e da Rio-92).

2012 / A21 Collection
Coleção inspirada na Agenda 21 – documento que resultou da conferência ECO 92 (Rio-92) e que estabelece a importância de cada país agir global e localmente na busca de soluções para os problemas socioambientais – foi lançada em celebração à Rio+20, atualizando os valores e diretrizes da Rio 92 para o mundo contemporâneo.

2012 / e-Ayiti
O e-Ayiti é uma parceria – mantida até hoje – entre Osklen, Instituto-E e Ethical Fashion Initiative (EFI), um projeto do International Trade Centre (ITC), agência ligada à ONU e à Organização Mundial do Comércio (OMC). Com o slogan “Not Charity, Just Work” (Não é caridade, apenas trabalho), o EFI conecta estilistas e designers de todo o mundo com artesãos de países economicamente vulneráveis, garantindo a estes trabalhadores uma remuneração mais justa. A participação da Osklen se dá com o desenvolvimento de uma coleção de acessórios produzida por artesãos locais com material reciclado sob a supervisão de designers da marca.

2015 / Ashaninka
A Osklen lança a coleção Ashaninka, um tributo criativo ao povo nativo da Amazônia, na região do Acre e Peru. Oskar e equipe estiveram na aldeia Apiwtxa por duas vezes, no processo de pesquisa e inspiração. Os royalties destinados à aldeia implementaram melhorias na escola da comunidade e compraram um terreno em Cruzeiro do Sul, no Acre, para construir uma sede da associação dos Ashaninka.

2018 / ASAP
Conceito que traz para o dia a dia a urgência de agir de forma mais sustentável possível. A coleção foi desenvolvida com o maior número de processos e materiais que minimizam os impactos socioambientais, reforçando o compromisso da Osklen em fazer uma moda pautada pelo desenvolvimento sustentável.

e-fabrics
Conheça peças produzidas com matérias-primas e/ou processos sustentáveis.

comprar

Imagem Direita Baixo